Aventure-se comigo...

Aventure-se comigo...

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

MINHA VIDA PAULISTANA


Nasci na Maternidade São Paulo, localizada a poucos metros na Avenida Paulista. Estudei na Universidade de São Paulo. O que mais poderia resultar do meu destino? Nasci com essa cidade irremediavelmente marcada na minh' alma.

Às vezes, confesso, não sinto tanto orgulho de ser brasileira, sinto v-e-r-g-o-n-h-a.  A cada novo escândalo de corrupção que aparece, quando vejo nosso Judiciário às sucatas, quando pago impostos aviltantes (o governo é meu sócio vagabundo, que não ajuda, só atrapalha e ainda ganha a melhor fatia do lucro).


Mas ser paulistana, isso sempre foi meu orgulho! E daí que não temos as belezas naturais do Rio de Janeiro e de tantas outras cidades maravilhosas do país? Temos tantos encantos, que só o olhar atento é capaz de captar – e aí... apaixonar-se por esta selva de pedras.

Sempre gostei da noite, não que eu seja boêmia, mas eu gosto de ficar acordada até madrugada, apreciar a escuridão ou as estrelas e o luar. Aprecio o silêncio da madrugada, mas não aquele silêncio monótono nas pequenas cidades, ou das montanhas, aonde a ausência de som chega a incomodar. O silêncio de São Paulo é diferente, é pulsante. A cidade nunca para.



Lembro-me da época de faculdade, eu estudava à noite na faculdade de Direito do Largo São Francisco, uma das mais antigas do Brasil, construída no centro histórico da capital. E o centro, à noite, não é exatamente um lugar turístico. Mesmo assim, os estudantes conheciam antigos botecos "mosca frita", nada luxuosos, mas com atendimento caloroso e cuja freqüência era basicamente dos estudantes da Sanfran. Coisas de cidade do interior...


E namorar no carro?? Eu ainda sou da época que se namorava no carro. Meu lugar favorito era a Praça do Pôr do Sol, em Pinheiros de onde se podia ver uma boa parte da cidade, era como um mirante. À noite, vários carros estacionavam lado a lado, para namorar e outras coisinhas mais. Não raro percebia-se um carro balançando de um jeito esquisito, com os vidros embaçados...


Eu mesma evitava namoros mais "calientes" dentro do carro, uma vez eu e um namorado da faculdade fomos pegos no maior amasso dentro do carro, pela polícia montada que fazia ronda na Cidade Universitária. Quase morri de vergonha, aprendi a lição.


Quando fecho os olhos e pergunto-me o que mais gosto em São Paulo, vem a minha cabeça:


* Saber que a qualquer hora, do dia ou da noite, haverá lugares abertos e pessoas para me atender, seja em um restaurante, em um supermercado 24 horas, em uma banca de jornal, um cyber café. Esse é o principal fator que me faz ser feliz aqui, saber que estou no meio de gente, a qualquer momento. E tem momentos que bate aquelaaaaaaaaaaa vontade de comer doce, só aqui tem a Ofner 24 horas, que não fechou nem na virada do ano!


** O zum zum zum constante – aqui nunca se está só.


*** Poder encontrar de tudo, desde aquela comida indiana deliciosa até um lustre antigo comprado nas feirinhas de antiguidade.
 
Eu adoro a mistura de etnias e "raças" em São Paulo. Não gosto da palavra "raça", mas que outro termo usar para ser compreendida? Eu gosto da mistura de nordestinos e mineiros, gaúchos e japoneses, brancos, negros, amarelos, alguns meio acinzentados pela poluição. Tem gente boa e gente ruim em todas as raças. A melhor pessoa que conheci até hoje é uma baiana retada, minha Clemilda, mãe e filha ao mesmo tempo.
A beleza de São Paulo está na mistura, essa cidade acolhe a todos de braços abertos, todos conseguem um espaço aqui, basta querer e trabalhar para isso. É a terra da oportunidade, não é fácil, mas é viável.


Quem se importa se São Paulo não é uma cidade esteticamente bela? A beleza do seu povo supera qualquer coisa...

 

3 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Eu queria gostar do Brasil, mas não me identifico com quase nada daqui. Queria mesmo era ter nascido em outro país menos machista.

Sou carioca e tb não me orgulho nada disso... rs... Até simpatizo mais com Sampa!

Beijocas

Fabio Oliveira disse...

Falar sobre São Paulo é bom, eu gosto muito, mas "viver" São Paulo é muito melhor, e eu faço isso.
No meu blog tem várias passagens e, se parar para pensar, todas as passagens, acho.
Gostei muito de ler. Abraço.

Suellem Brasil disse...

Sou a-p-a-i-x-o-n-a-d-a por São Paulo. A primeira vez que visitei essa " Selva de Pedras " foi dez/2009 e fiquei simplesmente encantada!!!
Muito BOM seu post.

Bjs.