Aventure-se comigo...

Aventure-se comigo...

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

O LADO BOM DO PÉ NA BUNDA


 

Quem nunca levou um pé na bunda até hoje? Deve ter doído, mas agradeça a ele/ela ter tido a coragem de dar um chega-prá-lá. Um bom pé na bunda pode ser altamente libertador!!

Vejo tantas pessoas sofrendo por terem levado um fora, eu sei que isso é péssimo para a auto-estima de qualquer um, que a pessoa se sente um lixo, blábláblá. Mas vejam por outro lado: muito pior é você se envolver com um(a) ENROLADOR(A).


Hoje uma amiga me ligou, preocupada com outra amiga, que está num "ata e desata" com um sujeitinho pseudo legal, mas que no fundo é um tremendo cafajeste. Ele suga a alma, o amor-próprio, as economias, a energia e tudo o mais que essa mulher tem. Já é mais que sabido que ele não a ama, nunca amou nem vai amar. Mas ele tem aquele charme que só os cafajestes possuem, vai enrolando a coitada com aquele ar sujeito legal, sabe dar atenção na medida certa e ignorá-la o suficiente para deixá-la insegura e carente.


Todo mundo conhece uma história parecida –ou já viveu uma assim. Qual seria a melhor solução para essa situação? O famoso pé na bunda. Já que ela não consegue se desvencilhar do marmanjo, ele bem que poderia honrar as calças que veste e dar um fim ao sofrimento da coitada. Um golpe de misericórdia.


Convenhamos... tristeza passa, pode demorar mais ou menos tempo, mas viver no "enrolation" é viver eternamente no inferno.


Tem homem que, para não dar o pé na bunda, desaparece. Esses são o pior tipo. Uma das minhas melhores amigas da faculdade topou com um espécime desse. Namoraram 3 meses, maior paixão, quis conhecer a família dela, os amigos, promessas de casamento e... S-U-M-I-U.


Ela ligava ele não atendia, ela foi à casa dele várias vezes e ele não respondia à campainha. Até que um dia a faxineira estava lá e sutilmente deu um conselho a ela: esquece dele, ele não vai mais falar com você.


Dá pra entender a cabeça de um sujeito desses? Não era muito melhor falar na lata:


- Olha, fulana, acho melhor terminarmos por aqui, você merece alguém melhor que eu (essa frase é CLÁSSICA)...

Então, em homenagem aos bananas que não têm coragem de colocar um fim em uma relação fadada ao fracasso, aqui vão algumas dicas:
  1. Comece a prepará-la (conhece a história do "gato que subiu no telhado"?). Um maneira básica de fazer isso é começar a ficar desleixado com sua aparência e educação. Apareça na casa dela sem tomar banho, com uma camiseta de propaganda de cerveja com um furo na barriga.
  2. Pare de levá-la a lugares legais, quando saírem, leve-a para comer um cachorro-quente no boteco, no final da refeição fique mastigando um palito de dente.
  3. Bafo é fatal... coma cebola e alho antes de encontrar com ela.
  4. Deixe de aparar os pelos pubianos, até parecer que você tem uma peruca no seu parque de diversões.
  5. Não dê motivo de ciúmes, isso só instiga a mulher a querer mais (deve ser um masoquismo inato da maioria das fêmeas). Ao contrário, diga a ela que você imagina vocês dois juntos daqui a 20 anos, ela cuidando da casa durante todo esse tempo, cozinhando para você e seus 5 filhos, afinal... seu sonho é ter uma mulher do tipo Amélia, nada de trabalhar fora de casa! 
  6. Se depois de tudo isso ela continuar empolgada com o relacionamento de vocês, seja direto e franco. E fuja... pois ela deve ser mais louca do que você supõe.

2 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Houve um relacionamento meu, e não vou dizer qual. Que fiz todas as regras lá pra ver se o cara ia embora sozinho e ele não foi, tive um trabalhão pra tirá=lo da minha vida.

Beijocas

Fernanda disse...

Concordo plenamente! Enrolar, ou ser enrolado, não serve para nada, é pura perda de tempo. E depois o tempo passa, tudo se cura, e a certeza que se sobrevive a qualquer pé na bunda que vier.