Aventure-se comigo...

Aventure-se comigo...

quinta-feira, 7 de abril de 2011

MAIS GENTILEZA, PLEEEEASE!!


Eu gosto de pessoas gentis. Gosto muito. Quando encontro uma, chego a me emocionar, como se eu estivesse diante de um espécime em extinção, tipo um urso albino natural do deserto do Saara.
Hoje a regra é ser impaciente e impessoal. Se você quiser uma pequena amostra da falta de gentileza que permeia o nosso dia a dia, dirija 5 minutos (apenas 5 minutos) em São Paulo em uma avenida movimentada.


Outro fato que me entristece: os idosos não são mais parecidos com a Dona Benta do sítio do Pica-Pau Amarelo. Lembro-me, na minha infância e adolescência, que as pessoas idosas eram calmas, sorridentes, educadas. Hoje eu tenho medo dos velhinhos! Eles andam mais estressados do que os jovens. Experimente contrariá-los em alguma coisa, eles viram uma fera!! Minha mãe foi atacada- literalmente atacada- por uma idosa no balcão de pães do supermercado, porque a atendente serviu-a antes dessa senhora. Minha mãe não é nenhuma jovenzinha, já tem 74 anos, e não percebeu que essa "tresloucada" estava lá antes. Só percebeu que havia algo errado quando foi atacada pelo carrinho de compras da mulher. Ela teve de ser segurada por um funcionário do local para não agredir à tapas a minha mãe.


Outra ação de risco é estacionar o carro em vaga para idoso. Meu irmão foi operado do joelho e ficou usando muletas por alguns meses, sem poder apoiar o pé direito no chão. Um belo dia ele teve de ir ao banco e foi dirigindo. O estacionamento do banco fica no subsolo, sendo necessário subir um lance de escadas, por essa razão meu irmão estacionou na única vaga disponível para deficiente ou idoso em frente à agência. No momento em que ele estava descendo do carro, um casal de velhinhos começou a buzinar logo atrás e a xingá-lo em altos brados, ordenando que tirasse o carro dali. Acharam que se tratava de um desses jovens folgados e idiotas que usam vagas especiais sem necessidade.

Meu irmão ficou super constrangido, todas as pessoas que entravam ou saiam da agência observaram a cena, até que ele saiu do carro com as muletas e o casal parou de gritar.
 

Isso tudo me entristece, as pessoas estão perdendo a ternura no trato com o outro, mesmo que seja uma pessoa desconhecida, um sorriso pode fazer toda a diferença.
Quero esclarecer que eu apóio todas as medidas legais que protegem os idosos e fico indignada com o desrespeito com que muitas pessoas tratam nossos velhinhos, só me surpreendo com a agressividade vinda deles.

Estou escrevendo este post em homenagem a um casal de japoneses  muito idoso, que morava próximo da minha casa. Todos os dias, durante anos, os dois saiam para caminhar, com chuva ou com sol, de mãos dadas. Eles nem sabia falar o noso idioma corretamente, mas sempre que viam algum vizinho, eles paravam e ficavam acenando com a mão, dando tchauzinho por vários segundo, sorrindo, como se quisessem dizer que estavam felizes em nos ver. Não os encontrei mais depois que eu casei e me mudei, no início dos anos 90.


Agora, voltei a morar nessa mesma casa, e me pego percorrendo os olhos nas calçadas da redondeza, na vã esperança de revê-los sorrindo, parados, acenando freneticamente, com alegria estampada no rosto.


Hoje, infelizmente, vejo apenas rostos sem expressão, pessoas que passam todos os dias nessas mesmas calçadas mas nunca vão fazer história. Que saudades daqueles velhinhos...

3 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Adoro seus posts! Definitivamente você tem meu jeito, ou eu tenho seu jeito... rs

As sete da manhã eu morrer de rir de algo é bem difícil... rs... mas isso aconteceu com essa sua frase:

"tipo um urso albino natural do deserto do Saara"

Fiquei imaginando um urso albino deseperado no deserto... rs

Bem... Acho eu o mundo está mais violento e impaciente, sim. No caso dos velhinhos pode ser o tal politicamente correto que diz que toda pessoa que envelhece fica frágil e acima do bem e do mal. Sendo que canalhas e FDP envelhecem e viram esses velhos insuportáveis. Tenho um exemplo muito claro disso na minha família.

O chato é que se tu dá uma banda num miserável desse ainda te lincham na rua... rsrs

Perfeito seu post, menina!


Beijocas

Fernanda disse...

Eu achava que era só comigo. Outro dia no fórum um senhor me deu um grande esbarrão em um balcão, eu achando que ele iria pedir desculpas e ele vira "chega pra lá que dá". Fiquei passada com a falta de educação de um senhor que devia ser advogado, todo bem vestido. Acho que a educação de outros tempos não chegou até os dias de hoje.

Atitude: substantivo feminino. disse...

Ficou ótimo esse seu post!
Visualizei cada cena.
Olha..velhice não justifica falta de educação, sabe.
Eu não falo nem pela gentileza em si. Eu não ligo se as pessoas não forem gentis. Não tenho problemas em lidar com pessoas secas e rudes, desde que tenham educação. E são coisas diferentes, não podemos confundir.

HOje vejo as pessoas muito alteradas e donas da razão no que fazem, mesmo sabendo que estão erradas.
Vc citou o transito por exemplo.
Eu não tenho carro, ando a pé e raramente na minha rua por exemplo, nego para no sinal.
Por que?
Medo?
Duvido. Alí não é para tanto.
Não é gentileza parar, sabe..é o correto.
Fico com muita raiva, porque queria que as pessoas fossem mais justas e corretas, que pensassem mais em suas ações.

Enfim.
Vamos viver com isso por um bom tempo ainda!

Beijos linda! E mais uma vez, parabéns pelo post!