Aventure-se comigo...

Aventure-se comigo...

terça-feira, 15 de março de 2011

PRAGA DE MÃE??

Às vezes minha mãe me coloca em umas roubadas. Quando eu era solteira ela tentou  várias vezes "ajeitar" namoros para mim, com filhos de amigas dela. Com exceção de dois,  os demais eram... uau, estou sem palavras para descrever. Imaginem uma mistura de nerd com  filhinho mimado da mamãe. Nada atraente, certo? Pareciam aqueles primos chatos que querem tirar uma casquinha da prima nas festas de família.

E o pior era que minha mãe me chantageava para sair com eles:
- Mas o fulano é filho da minha amiga, com que cara eu vou dizer a ela que você não quer aceitar o convite dele para jantar?
Putzzz, naquela época saía-se para jantar, não existia o bendito Fran's Café, reduto  paulistano dos primeiros encontros com pessoas que conhecemos na internet. 
A experiência e a sabedoria ensinam: no primeiro encontro, vá a um lugar onde você possa ficar pouco tempo, sem ser indelicado se precisar  fugir rapidamente, caso a pessoa com quem você se está não  for do seu agrado.

Um episódio com um desses "filho-da-amiga-da-minha-mãe" foi marcante. Eu tinha uns 20 anos e ele  era pouca coisa mais velho. A mãe dele ligou para mim, pedindo para eu sair com o filho dela, pois ele era muito tímido e não tinha coragem de me convidar. Olha a saia justa! Não pude recusar, mas fiquei a semana inteira infernizando a minha mãe, que tinha colaborado com esse plano maquiavélico. Numa certa altura minha mãe disse:
- Você está fazendo tanta frescura para sair com esse rapaz, que é bem possível que você acabe gamadona nele. Fica cuspindo pra cima que vai cair na sua testa!

Na noite combinada, ele chegou no portão com uma embalagem na mão. Disse que a mãe dele havia mandado uma lasanha que ela fizera para mim. Eu, abri o portão com uma mão e com a outra peguei a embalagem de alumínio, que com o peso, dobrou-se ao meio,  derramando metade da lasanha no sapato de camurça do rapaz. Ele ficou chutando o pé no ar para tirar os pedações de presunto e de massa que teimavam em grudar no bico do sapato. Eu, mais do que sem graça, pedia desculpas e ele, muito tímido, disfarçava o desconforto dizendo que estava tudo bem.

Fomos a um barzinho. Detalhe: ele não bebia e tampouco eu.  Foi uma noite horrível, ele não tinha assunto, eu estava sem graça com a história da lasanha, e o tempo não passava. Quando ele me deixou em casa, eu abri a porta do carro antes mesmo dele ter estacionado totalmente, para não dar  nem chance dele querer beijinho de despedida. Fugi dos telefonemas dele até que ele percebeu que não haveria um segundo encontro.

De volta a 2011:
Semana passada,  estava  eu serelepe e feliz, almoçando com uma amiga perto do meu trabalho. Estava sentada à mesa, conversando distraidíssima. Um homem muito bonito se aproxima para falar comigo. Pensei que ele fosse perguntar as horas, sei lá.
-Você é a Cristine **, fillha da Dona J**?  pergunta ele.
-Sou sim! - uau, fiquei sem ar, que homem lindo!
- Eu sou o fulano... aquele que você deu um banho de lasanha há muito tempo atras.

Não!! Esse é aquele???  pensei comigo.
Tentei me recuperar da surpresa e disfarçar que tinha ficado de queixo caído. Nós nos falamos rapidamente, ele tinha uma reunião e estava atrasado. Disse que morou na Europa durante muito tempo e fazia poucos meses que estava de volta. Com um sorriso, perguntou se eu poderia acompanhá-lo qualquer noite a algum barzinho legal, desde que eu prometesse não derrubar comida em cima dele. 
Deixou um cartão de visita e pediu para eu telefonar.

O interessante nessa história é que, analisando  meus  ex-namorados, paqueras, amigos dos tempos de solteira, quase todos estão meio acabados. Quase todos barrigudos, envelhecidos, carecas. Ao contrário das mulheres da mesma idade, que continuam bonitonas e atraentes. E a exceção a essa regra tinha de ser justamente o cara da lasanha?  Só pode ser praga de mãe! Cuspi para cima  e caiu na testa, mesmo! 

Lembrei da transformação de um dos atores mais bonitos da atualidade, Patrick Dempsey, que nos anos 80 era muito feio. Milagres acontecem...

Agora, resta a coragem para ligar para o "lasanha man". Vai ver o universo está querendo se vingar de mim pela maneira com que tratei o rapaz no passado. Mas que culpa tenho eu se  ele era um sapo que só depois virou um Adônis? Sei não, acho que vou continuar com meus  atuais namoradinhos  descompromissados, time que está ganhando não se mexe.

4 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Um gato desse cai do cai do céu e você não quer dar uma segunda chance? ahahah... Se joga menina!

Olha minha mãe, pelo contrário, sempre colocou defeito e detestou todos meus namorados e maridos. Com o meu ultimo marido ela sequer falava direito com ele. É algo assim para um estudo psicológico...rs

Quanto a certos homens, muitos ficam ótimos na faixa de 30 para 40 anos. Se o homem não "enbarriguadar", nessa fase é que ele fica melhor. Pena que a maioria dos héteros sejam desleixados com a aparência...

Beijocas

Adriana Alencar disse...

KKkkkkkkk! Amei a história! Acho que é exatamente o contrário, o universo está querendo dar uma segunda chance aos dois, vai fundo!!!
Eu também passei por várias dessas situações, parentes apresentando "supostos bons rapazes", alguns mesmo sem eu saber, uma tia me convidava para um café e o rapaz "aparecia"... Acabei conhecendo o meu marido através dos meus pais mas ele foi um dos que a minha mãe nem pensou em me apresentar porque achava que eu não iria gostar... Casamos em 6 meses!
Beijo
Adri

Anônimo disse...

Ah, vá! Liga pro moço! O máximo que pode acontecer é ele ser mais um "namoradinho descompromissado", como você mesma diz... o que já seria bom demais, trantando-se de um lasanhão desses...

Me diverti com as suas histórias!

Abraço!

Flavia.

Lola - a racional disse...

Eu sou a favor de riscos, mesmo pq, sou uma curiosa imoral que "precisa saber" rsrsrsrs
Vai! O único risco é de, desta vez, ELE colocar vc pra fora do carro... e confesse, só por isso vc está hesitante...
Vai menina, se ele for vingativo, vc não está perdendo nada... rsrs
Bora, que to curiosa pra saber no que vai dar!