Aventure-se comigo...

Aventure-se comigo...

terça-feira, 5 de maio de 2009

Outra história de Mariza...

Lembra aquela amiga minha que morou na Itália e disse que os italianos não tomam banho?
Pois é, semana passada saímos às compras. Fui ajudá-la a comprar lingeries. Fala sério, tem coisas que só as mulheres podem fazer juntas. Imagine dois homens combinando para comprar cuecas? J-a-m-a-i-s.

Pois é, eu odeio sair com essa amigapara comprar roupas com ela, por que a danadinha tem 40 anos com corpo de 25. Magrinha, quase caí dura quando vi os peitinhos empinados. Safadaaaaaa!!!! Até desanimei de experimentar um corsete depois que o vi no corpitcho tamanho 36 (juro, 36!) dela.

Bom, mas eu já passei da fase de me comparar com as outras, sou mais eu, blablabla...e o papo rolou sobre alma gêmea, quando pinta a paixão, não tem gosrdurinhas a mais ou a menos que façam diferença.

Mariza me conta uma história verídica. Uma amiga de infância dela, chamada IARA, muito doida, bem gordinha e totalmente ninfomaníaca, viajou para o Gaurujá, na expectativa de encontrar uma possível vítima para o abate. Pois bem, passaram-se 2 dias e 2 noites e nada de aparecer alguém. A coitada estava em desespero... batendo palminhas, se é que me entendem...

Na falta de um homem, encheu a cara e, bêbada, entrou no mar à noite na praia de Pitangueiras. Notou um homem que levantava as mãos aos céus como em uma prece para logo em seguida jogar água para o alto, como se fosse um ritual muito particular.

Mas, na situação em que ela se encontrava, nada parecia anormal. Eis que uma onda a derruba e Iara rola pela onda, quase se afogando, para, a final, ser salva pelo homem que estava orando perto dela.

Ele a levanta nos braços com dificuldade (ela sóbria já é pesada, imagine bêbada e no mar...). Ela tasca-lhe um beijo na boca, meio agradecida por ser salva, meio querendo tirar o atraso de 2 dias.

O homem surpreso, pergunta-lhe o nome. Quando ela responde: IARA, ele põe-se a chorar, ajoelha-se e agradece. Então explica a ela que estava pedindo a Yemanja, a Deusa Iara, a rainha do mar, uma namorada.
Só não pensava que a reposta fosse ser imediata e nem que a candidata seria uma xará de Iemanjá.

Destino?? Sabe-se lá. Mas que ela tirou o atraso, isso tirou... E o mocinho da história? Nem reparou na barriga e celulites da "enviada dos mares".

2 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Interessante! eheheh

Beijocas

I'm Blessed disse...

Gostei da parte de bater palminhas... rs
Amo as suas histórias, Cris!
Você é uma colunista nata!
Beijossssssss!